04 junho 2010

O tempo é curto...

Pois é.. há muito tempo que não venho aqui... Mas vou tentar manter isto mais actualizado!
Vou-vos falar um pouco de uma das razões pelo qual tenho andado distante.

"A Trienal lançou um repto às escolas de arquitectura e de arquitectura paisagista para trabalharem, no âmbito do seu plano formativo, respostas para uma pergunta: como é possível a arquitectura contribuir para melhorar, em concreto, as condições de vida das pessoas deste bairro?
O bairro é a Cova da Moura, realidade complexa em termos sociais e culturais, oriundo de circunstâncias históricas peculiares e com um percurso atípico. A escolha da Cova da Moura para o desenvolvimento deste projecto deveu-se ao reconhecimento de que este bairro possui uma dinâmica associativa que proporciona para os envolvidos neste projecto uma importante interlocução.
Foi exactamente por aí que o projecto iniciou, por uma reunião com a Comissão de Bairro (federação das diversas associações que aí estão implantadas), no sentido de estabelecer uma parceria para o desenvolvimento deste estudo.
O segundo passo foi desenvolver, em colaboração com a Fundação EDP, o projecto de um seminário de enquadramento aberto aos alunos das escolas envolvidas no projecto.
A última fase será uma exposição que terá lugar no Museu da Electricidade."

Estou neste momento a participar na Trienal de Lisboa e o tema base é a Cova da Moura. Para quem não conhece a cova, poderá ter uma ideia errada do que realmente aquele espaço representa...
Quando estamos do lado de fora da Cova temos a ideia de estar a entrar num espaço de clausura, quase cercado por uma muralha, no entanto, quando entramos sentimos a abertura do bairro. A noção de dimensão e expressão céu-terra sente-se no espaço, principalmente devido à dimensão das construções.(contrária às construções em altura que rodeiam o bairro). Para além disso é um espaço em constante morfose, dado que o seu ritmo de construção é mais elevado e a mão-de-obra são os próprios habitantes do bairro.
Um espaço que recebe qualquer um de braços abertos, é um espaço onde as pessoas se conhecem, onde o meu vizinho é também meu amigo, e não só mais um habitante da porta ao lado. Vive-se numa comunidade própria daquele meio, sem qualquer tipo de problemas, ali vive-se como se fosse uma aldeia colada no seio de uma grande cidade. Onde as pessoas"vivem" realmente umas com as outras.

A experiência que tenho ganho com este projecto é óptima, mas, melhor que isso foram as pessoas que conheci. Apesar de cansativo estou a adorar cada momento que passo com os meus colegas de trabalho, agora amigos e espero que se mantenha por muito tempo!

2 comentários:

  1. amigo convido-o a participar:
    http://www.land4us.blogspot.com/
    http://land4usforum.forumeiros.com/

    ResponderEliminar